Doações de Marília para as vítimas e desabrigados das enchentes chegam à sede da Alesp, de onde seguirão ao Rio Grande do Sul

O Fundo Social de Solidariedade de Marília continua com as ações solidárias em prol das vítimas das inundações no Estado do Rio Grande do Sul. Todas as doações entregues pela comunidade mariliense, através de associações, escolas, igrejas, indústrias e empresas da Cidade Símbolo de ‘Amor e Liberdade’ chegaram nesta segunda-feira, dia 27 de maio de 2024, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a Alesp, de onde seguem para o Rio Grande do Sul. O Palácio Nove de Julho, sede do Poder Legislativo do Estado de São Paulo, é base para o recebimento das doações vindas de todas as regiões.

A campanha Marília Solidária começou em 8 de maio de 2024, no gabinete do prefeito Daniel Alonso (PL) e liderada pela primeira-dama do Município e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Marília, dona Selma Regina Mazuqueli Alonso, que desde então, tem intensificado as estratégias de trabalhos e o reforço nas arrecadações de cobertores e água potável para que sejam entregues à Defesa Civil do Rio Grande do Sul para que cheguem às vítimas das enchentes.

O comitê emergencial criado pela primeira-dama dona Regina conta com as participações do vice-prefeito Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PL) – representado na ocasião pela secretária municipal de Assuntos Estratégicos, Marília Oliveira, assessor especial Dr. Alysson Alex (vice-presidente do Marília Atlético Clube), secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Clóvis de Mello, procurador-geral do Município, Dr Ricardo Mustafá, secretário da Educação, professor Helter Bochi e o diretor de comunicação da Prefeitura de Marília, Mauro Brito de Abreu. Todas as Secretarias Municipais, autarquias e demais órgãos da administração municipal, como o Daem, Emdurb, Codemar e Ipremm, continuam engajados em prol das vítimas do Rio Grande do Sul. A campanha conta com o apoio do Max Atacadista Supermercado, Shopping Aquarius, Ceagesp e Dori Alimentos.

A primeira-dama e presidente do Fundo Social, dona Regina Alonso, reafirma que todas as 64 escolas da rede municipal de Marília continuam como pontos de coleta para as vítimas do Sul. “No primeiro momento a prioridade foi reunir a maior quantidade de doações de água e cobertores e como as previsões para as próximas semanas é de queda na temperatura no Rio Grande do Sul, agora é fazer chegar às vítimas tudo que a comunidade mariliense arrecadou e entregou na Alesp”, informou dona Regina.

Marília é formada por pessoas solidárias

A campanha Marília Solidária conta com o apoio do Tiro de Guerra e além de todas as escolas municipais, o estádio do MAC, o Abreuzão, e a sede do Fundo Social de Solidariedade, na rua Nove de Julho, nº 1.594, centro de Marília. “A nossa população é formada por pessoas solidárias, comunitários e dispostos a ajudar. Desde que a tragédia do Sul se agravou, muitas iniciativas já estão ocorrendo e isso é um exemplo que emociona a todos. Agora, através da Prefeitura e do Fundo Social com apoio da Alesp, faremos chegar no Rio Grande do Sul”, afirmou dona Regina.

As doações vão ser levadas de caminhões até a sede do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, que destinará até as cidades gaúchas que estão enfrentando uma das graves inundações da história daquele Estado. Conforme boletim da Defesa Civil do Estado do Rio Grande do Sul,as inundações afetaram diretamente 417 cidades gaúchas, desalojaram mais de 163 mil pessoas e afetaram mais de 1,4 milhão de moradores daquele Estado.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Veja também...

Rolar para cima