Marília conta com Banco de Alimentos para distribuição de hortifrutis para famílias em vulnerabilidade social

Marília já conta com o Banco de Alimentos para distribuição de hortifrutis para famílias em vulnerabilidade social. O auxílio é fornecido pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. O prédio onde funciona o serviço está sendo estruturado e será inaugurado em breve, mas já há atendimento no local.

Atualmente, 33 pessoas estão cadastradas para receber uma ‘cesta verde’ de aproximadamente 6 quilos (6 kg) com diversos produtos dentre frutas, vegetais e até proteínas, três vezes por semana. Esses alimentos são doados por parceiros como o Supermercado Amigão e a unidade Aquarius do Confiança Supermercados.

“É uma cesta verde com alimentos que estão em boas condições, mas acabam sobrando nas gôndolas por estar com um amassadinho ou bem amadurecidos. Os parceiros enviam esses produtos para nós, que fazemos uma triagem para selecionar o que vai para a cesta e descartar o que realmente não está próprio para consumo”, explicou a encarregada do Departamento de Segurança Alimentar, Aline Angélica Souza Silva.

O secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Clóvis Mello, também falou sobre a importância da ação. “Estamos em contato com outros supermercados para aumentar a coleta. Porque combater a fome é essencial para garantir a dignidade humana. Ao enfrentar esse desafio, construímos um mundo mais justo e inclusivo. Juntos, podemos transformar vidas e construir um futuro mais sustentável”.

Quem pode receber a doação?

As pessoas que já estão recebendo os alimentos estão no Cadastro Único (CadÚnico), do Governo Federal, critério para participar do programa municipal. Uma das beneficiadas é a dona de casa Josiane de Oliveira, 41 anos, que também é voluntária da instituição.

“É muito bom. Acho que economizo mais de R$ 150,00 até porque está tudo caro no mercado. Em casa, meus filhos gostam de comer comida de verdade, é arroz com feijão. Então, a gente consegue cultivar essa boa alimentação. Nunca falta e ainda sempre leva uma fruta diferente para casa”, afirmou Josiane.

Quando há excedente de cestas, o Banco de Alimentos realiza a doação para instituições filantrópicas da cidade registradas em seu cadastro. Dentre essas estão Marmitas Solidárias, Instituto Salve o Planeta Terra, Centro de Apoio à Criança e Adolescente de Marília (Cacam), Associação Filantrópica de Marília, Educandário Dr. Bezerra de Menezes, Fundação Mansão Ismael, Grupo Mariliense de Apoio ao Doente de Câncer, Amor de Mãe, Horta Vinha do Senhor, Apae, Caps Com Viver, Caps AD, Colo de Mãe, ONG 360, Casa Mateus 25 e Alimento Sim, Fome Não.

O ex-secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Delegado Damasceno, lembrou que o banco ganhou estrutura durante a administração do prefeito Daniel Alonso. “O banco complementa nutrientes às famílias em vulnerabilidade social, sobretudo com a oferta de hortifrutis, graças ao comprometimento da equipe coordenada pela encarregada Aline Souza e Silva. Importante ponderar sobre as parcerias com supermercados e futuro chamamento que será liderado pelo atual secretário de Assistência Social, Clóvis Mello, para hortas comunitárias, através de ONGs cadastradas no Conselho Municipal de Assistência Social do Município. Tudo isso em busca não apenas do combate à fome, mas também para proporcionar alimentos de qualidade e segurança alimentar a todos”, complementou.

O prédio do Banco de Alimentos está sendo estruturado onde antigamente funcionava Etec (Escola Técnica Estadual), na rua Catanduva, número 661, no cruzamento com a rua Bonfim, no bairro Alto Cafezal, região central da cidade. Em um futuro próximo, o local oferecerá oficinas relacionadas à segurança alimentar. Para ter acesso ao serviço, os moradores devem entrar em contato pelo número (14) 98100-3722 (WhatsApp).

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Veja também...

Rolar para cima