Comerciante de Marília é Suspenso do TikTok por 10 Anos por Vídeos Opinativos sobre Política Local

Em uma época em que as redes sociais são a principal fonte de informação sobre pautas locais, acontecimentos e opiniões, o comerciante da zona norte de Marília, Laércio Santos, mais conhecido como “Andarilho”, enfrentou uma situação surpreendente nesta manhã. Após denúncias infundadas, seu perfil no TikTok foi removido e ele recebeu uma suspensão de 10 anos.

Laércio, que é bastante popular na região, afirma que seus vídeos não continham nada impróprio, nem linguajar ofensivo. O comerciante acumulava mais de 3 mil seguidores e seus vídeos alcançavam cerca de 5 mil visualizações na plataforma. A suspensão veio como um choque, especialmente em um período tão crítico como o eleitoral, onde a voz ativa de cidadãos locais é essencial para o debate público.

“Acredito que esta suspensão é injusta e sem fundamento. Meus vídeos eram apenas opiniões sobre a política local, sem nenhum tipo de ofensa”, lamentou Laércio. Conhecido por suas análises sinceras e diretas, ele utilizava o TikTok como um meio para engajar a comunidade e discutir temas relevantes.

O comerciante agora teme que essa suspensão possa afetar suas contas em outras redes sociais, o que poderia comprometer sua capacidade de se expressar e de influenciar positivamente a sociedade local. “Minha preocupação é que essa medida se estenda a outras plataformas, silenciando minha voz justamente quando mais precisamos de diálogo e troca de ideias”, desabafou.

A suspensão de Laércio levanta questões sobre a liberdade de expressão nas redes sociais e a influência que denúncias infundadas podem ter sobre a presença digital de indivíduos. Em um cenário onde as redes sociais são vitais para a disseminação de informações e opiniões, o caso de “Andarilho” serve como um alerta para a necessidade de mecanismos mais justos e transparentes de moderação de conteúdo.

Enquanto isso, Laércio continua a buscar maneiras de manter sua presença ativa e engajada na comunidade, explorando alternativas para continuar participando do debate público e informando seus seguidores sobre os acontecimentos locais.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Veja também...

Rolar para cima